Não se perca ao entrar...

Aqui contém cenas explícitas de minha nudez ao avesso, para melhor visualização feche seus olhos. (Mary Backes)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Onde és vocal, eu orquestra


Danço em tua pele,
o som do teu gemido
Murmúrios de música sussurrada, gemida,
onde és vocal, eu orquestra.
 

.
o teu corpo suado,
ao ritmo em despudor do meu compasso.
Roça teus sentidos.

 .
Deslizo nas gotas, que chovem do teu desejo ,
e me entranho no teu prazer.
Um ir e vir constante,
forte, selvagem e louco .
Tremo no teu tremor
que se contorce.
Um transe.
.
me aperta ,
se enxarca
me arranha.
e num gozo forte, túmido
e sem controle
chora feliz um riso nervoso...


(Maurizio Bersani)

quinta-feira, 17 de março de 2011

sexta-feira, 11 de março de 2011

Só não se perca ao entrar...


Eis o melhor e o pior de mim
O meu termômetro, o meu quilate
Vem, cara, me retrate
Não é impossível
Eu não sou difícil de ler
Faça sua parte
Eu sou daqui, eu não sou de Marte
Vem, cara, me repara
Não vê, tá na cara, sou porta bandeira de mim
Só não se perca ao entrar
No meu infinito particular
Em alguns instantes
Sou pequenina e também gigante
Vem, cara, se declara
O mundo é portátil
Pra quem não tem nada a esconder
Olha minha cara
É só mistério, não tem segredo
Vem cá, não tenha medo
A água é potável
Daqui você pode beber
Só não se perca ao entrar
 No meu infinito particular

(Marisa Monte - Infinito particular)