Não se perca ao entrar...

Aqui contém cenas explícitas de minha nudez ao avesso, para melhor visualização feche seus olhos. (Mary Backes)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Poderia ter sido melhor mas...


Estes três pontinhos se acumularam em nossos momentos, poderia ter sido melhor mas... 
Mas não houve troca, a alma não foi alimentada, a moradia em teus braços não estava sendo aconchegante e a sensibilidade não existia.
Eu parti,
mas não te deixei.
Parti os laços que não souberam ser afetivos. 
Outros laços surgirão, não serão laços vermelhos mas continuarão sedosos e a cor dependerá da intensidade da nossa amizade.

Ou toca, ou não toca.


“Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranqüilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer… Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato. Ou toca, ou não toca.”

(Clarice Lispector)

domingo, 12 de junho de 2011

Muito além do que se manifesta – Peanuts


... Eu estava tomando café com um amigo. Ele estava externando seu momento de impaciência com a esposa. A determinada altura, ele entornou a chorumela:

— Estou ficando velho! Não tenho mais paciência para certas coisas de minha mulher. Eu não a entendo. Ela parece agir de modo contrário ao que deseja, e parece dizer o que não está querendo dizer. Se lido com o que ela diz, as coisas complicam… Se lido com a forma como ela age, erro… Não estou conseguindo mais equacionar essa contradição entre o manifesto e o latente na alma feminina…


Numa linguagem meio tecniquês, mas que ele compreende bem, eu sugeri:


— Enquanto você estiver determinado a lidar com o manifesto, e não resolver desnudar as ambivalências do que está por detrás, nos terrenos não-manifestos e latentes, vai se frustrar enormemente… Se ela for surpreendida nesse terreno mais profundo, que vem à superfície camuflado, e por vezes invertido, provavelmente você ganhará mais traquejo no trato com ela.



 






Em resumo, o homem que interagir apenas com o manifesto e verbalizado mundo feminino não terá compreendido da missa a metade.
 









(A tirinha de Charles M. Schulz foi publicada em 16 de novembro de 1951. Cf: Peanuts Completo: 1950 a 1952. 4a. edição. Trad. de Alexandre Boide. Porto Alegre-RS: L&PM, 2011, p. 118)  http://amadeudeprado.wordpress.com/page/2/

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Um dia resolvi encará-lo de frente!


Acho que a vida anda passando a mão em mim
a vida anda passando a mão em mim
acho que a vida anda passando
a vida anda passando
acho que a vida anda
a vida anda em mim
acho que há vida em mim
a vida em mim anda passando
acho que a vida anda passando a mão em mim


e por falar em sexo quem anda me comendo
é o tempo
na verdade faz tempo mas eu escondia
porque ele me pegava à força e por trás

um dia resolvi encará-lo de frente e disse: tempo
se você tem que me comer
que seja com o meu consentimento
e me olhando nos olhos

acho que ganhei o tempo
de lá pra cá ele tem sido bom comigo
dizem que ando até remoçando

(Do livro Pensamento do Chão, de Viviane Mosé)


A alguns anos atrás minha Psicóloga me presenteou com este texto que fez enxergar que havia muita vida em mim e eu a estava disperdiçando deixando ser comida pelo tempo. Texto maravilhoso, minha primeira reflexão sobre a vida! Desde então, eu e o tempo somos bons amigos, andamos sempre de mãos dadas ele tem me ensinado tanta coisa...Tem me renovado a cada dia!

terça-feira, 7 de junho de 2011

Combinado?


"Temos de ver todas as cicatrizes como algo belo. Combinado? Este vai ser o nosso… segredo. Porque, acredite em mim, uma cicatriz não se forma num morto. Uma cicatriz significa: “Eu sobrevivi”
 
(Chris Cleave, in Pequena Abelha)

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Pensar já era!


 "Abaixo a razão e o pensamento! O negócio é só sentir, meu irmão, só sentir.  
Pensar já era. Pensar acabou, não se usa mais."  
(Caio Fernando Abreu)

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência.

 
 "A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário... por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo."

(Caio F.)